A Fugitiva

Ela andava de um lado para o outro apertando as mãos. Às vezes vinha-lhe à cabeça uma sensação de desespero, ela sabia que nada durava pra sempre…

O rapaz, que há tanto tempo a conhecia, observava-a como quem quisesse fazer algo, porém não tinha as armas necessárias… Nem sabia quais eram.

– Se eu for pega novamente, não terei escapatória.

– Você é experiente, não precisa se preocupar.

– Eu falo sério, não vou agüentar! Não vou ficar isolada do mundo outra vez…

– Você sabe que isso só depende de você!

– Eu me recuso a fugir a vida toda, talvez morrer seja uma saída!

– Não seja ridícula! Onde já se viu pensar em algo assim? Se entrega de uma vez. Se matando você perde tudo, se entregando você tem outras possibilidades.

– Não, eu não vou deixar que ninguém me pegue outra vez, a última foi ruim o suficiente! Ficar presa por dias num quarto escuro! Achei que nunca mais sairia de lá.

– E aqui esta você, viva e bem!

– Sim, mas não sei por quanto tempo vou aguentar ficar me escondendo.

– Você se esconde porque quer, sabe disso.

– Não é porque eu quero, é uma necessidade! Não posso sair por aí e dar as caras em público.

– Claro que pode! Um dia você vai amar novamente, não adianta tentar ser uma ilha, isso não depende somente de você! Experiências ruins acontecem, você não será a primeira nem a última.

– Eu sei, eu sei…

Pollon, Diego.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Conto

5 Respostas para “A Fugitiva

  1. Nicky

    É CLARO que você usaria Degas em algum post…

    🙂

    Quanto à fugitiva…
    É, dear, a gente sempre sabe!
    Mas um ombro amigo é sempre essencial nesses casos.

    [Diego Pollon diz:]
    – Eu sei, eu sei…

  2. R. M. Gonçalves

    Olá Diego,
    Gostei do diálogo!

    Nem sempre quando sofremos uma desilusão amorosa temos condições de sair sozinhos da fossa; e é nessas horas que simples palavras podem fazer toda diferença.
    Principalmente quando somos lembrados — por que não basta sabermos, precisamos ser lembrados — de que não estamos sozinhos no sofrimento, e que eles sempre acontecem.

    Parabéns, amigo 😉

  3. Sabrina

    Di!

    Tô andorando ler esse blog.
    Bjs

  4. Naay

    Só pra não dizer que não te apoio ;P
    Na proxima, posta um desenho seu e escreva contos sobre os mesmos :}
    kissescallme

  5. Ca

    muito bom o texto…
    Parabens!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s